Caminho do Mosteiro: rota de fé e de contato com a natureza

Natureza e religiosidade unidas no Caminho do Mosteiro, rota de peregrinação, inaugurado no último sábado, 17/08, na Praça Quilombo, em Santa Teresinha, marco zero do roteiro. Com destino ao Mosteiro do Paraíso, em Torrinha, o Caminho passa pela área rural de quatro cidades, totalizando 134,4 quilômetros de caminhada.


Piracicaba e Torrinha são as cidades apoiadoras da iniciativa que contou com a presença dos prefeitos de Piracicaba, Barjas Negri e de Torrinha, Ronaldo Gasparelo, do piracicabano Gustavo Alves de Oliveira, idealizador do Caminho, Fabiana Miranda, da Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente – Sedema, responsável pela administração do Parque Santa Teresinha.

Biker e fotógrafo apaixonado pela natureza, Oliveira se inspirou no Caminho da Fé, com aproximadamente 500 km, que liga Águas da Prata ao Santuário de Aparecida, o qual já percorreu sobre duas rodas. A ideia de mapear o Caminho do Mosteiro surgiu durante os passeios de bicicleta, quando rodava pela área rural de Piracicaba e região.

O Caminho do Mosteiro vai oferecer material impresso com o mapa do traçado do caminho e cerca de 15 pontos de apoio credenciados para receber
os peregrinos nas cidades de Charqueada, Ipeúna, Itirapina e Brotas. Noventa e cinco porcento do percurso fica nas áreas rurais dessas cidades parceiras. Pode ser feito a pé, de bicicleta ou a cavalo. “O caminho é voltado para a área rural para tirar os peregrinos das rodovias e oferecer mais segurança”, avisa Oliveira. “Aconselho fazer acompanhado e se informar sobre dicas para peregrinação”, completa. 

Oliveira explica que a credencial pode ser retirada – os locais estão no site -, ao preço de R$ 30. Com ela o peregrino ele terá direito ao mapa, com o traçado e pontos de apoio, que são pousadas, bares, lanchonetes, supermercados. Nesses pontos, o peregrino, mesmo que não se hospede ou consuma produtos, deve carimbar a credencial. Ao final do trajeto, esse documento será a prova de que o caminho foi percorrido, o que dará à pessoa o direito ao certificado de peregrino.

DE TIRAR O FÔLEGO – A caminhada demora de 4 a 5 dias e inclui paisagens de tirar o fôlego. O peregrino vai poder apreciar a Pedra do Índio, em Ipeúna, e a Gurita, montanha também em Ipeúna. Itaqueri da Serra, que já foi uma cidade e hoje é um distrito de Itirapina, também está no roteiro. “Foi em Itaqueri que nasceu Ulisses Guimarães”, conta Oliveira, se referindo ao político morto em 1992, em acidente de helicóptero no litoral do Rio de Janeiro. Em Brotas, o trajeto inclui o bairro rural de Bom Jardim.

O Mosteiro do Paraíso, local de chegada, era uma antiga fazenda café. Lá vivem monges e padres. “No Mosteiro existe a Igreja São José, onde serão rezadas missas para os peregrinos”, explica Oliveira.

Todo o trajeto é sinalizado por setas amarelas, com fundo azul, seguindo padrão mundial de peregrinação. Oliveira explica que os pontos credenciados são um apoio ao peregrino, mas aconselha que quem fizer o caminho providencie um carro de apoio, se achar necessário. Esse carro de apoio fica por conta de cada peregrino.

O Caminho do Mosteiro, tem o apoio da Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo (SemacTur) e já está disponível para receber peregrinos. Informações podem ser conseguidas nesse site.

4 thoughts on “Caminho do Mosteiro: rota de fé e de contato com a natureza

  1. CLÁUDIA RUIZ MIGLIORINI says:

    Me interessei em fazer . Como proceder?
    Estou em Pederneiras/SP.
    Desejo maiores informações.

  2. Luzia Soares Barbosa says:

    olá
    Gostaria de saber quais as cidades que fazem parte do caminho e também uma lista de pousadas e hotéis .,
    Não estou conseguindo localizar pelo site…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido.
WhatsApp chat